Personagens jogadores de varapau

Em alguns casos, na literatura portuguesa, os personagens são descritos como afamados jogadores de pau, mesmo que os autores não aprofundem mais a vertente de puxador do personagem, é geralmente uma forma utilizada de imprimir valentia, força, coragem e outros valores nesse personagem.
Além dos exemplos já referidos neste blog, ficam aqui outros seis:


O Manoel da Clara
“De todos os rapazes da aldeia era o Manoel da Clara o mais querido das raparigas.

Fôra sempre um belo rapaz de afugentar rivais, mas, desde que viera da tropa e de lá trouxera aquelle ar desdenhoso de feliz D. João, aprendido no convívio dos camaradas presunçósos e mulheres de vida airada, parece que as enlouquecia.

Acostumado a ajustar a farda, como apertava bem a cinta de lã preta ou carmezim, que parecia trazer espartilho, o démo do rapaz!

Os sapatos com o lustro bem puxado, que pareciam de verniz; o chapéo garbosamente descahido sobre a esquerda; a ponta do cigarro atraz da orelha; e o lenço, com flôres e uma legenda bordadas a côres vivas, a sahir da pequena algibeira da jaqueta, as mais das vezes levada ao hombro; o Manoel era na verdade a nata da rapaziada do logar.

No meio dos outros, com as suas caras rapadas de lôrpas, valentes mas sem a elegancia dos gestos disciplinados pelo exercicio regular, o seu pequeno bigode de cidadão retorcia-se aos domingos com uma petulancia irresistivel.

Nas feiras e romarias, firmado no varapau metido debaixo do braço, toda a vaidade satisfeita a brilhar-lhe nos inquietos olhitos garços, desafiava toda a concorrencia desagradavel. Ás raparigas iam-se-lhes os olhos nelle, e mediam-se com o rancôr de rivalidades latentes.

E valentão!?–como aquilo poucos! E, como sempre, era a superioridade material da força e da coragem o que mais o fazia valer aos olhos de primitivas femeas, oferecendo-se orgulhosamente ao vencedor, ao macho forte e soberbo.

Quando o Manoel, com um rapido piparote atirava para a nuca o chapéo móle de largas abas, dava um passo atraz, fazia girar o varapau em sarilho sobre a cabeça, e torcia a bôca espumante num esgare de raiva… podiam fugir delle!

Contavam-se na aldeia as valentias do Manoel com o mesmo entusiasmo e ufanía com que se contariam as de um heroi da historia, um heroi autêntico, de que a tradição nos deixasse o nome e a memoria de largos feitos.

Uma vez era todo o povo de Infias que se juntara para o desafiar, raivosos por uma questão de mulheres de que o Manoel era afortunado protogonista, e que elle _enfiara_ pela serra abaixo–que até parecia que o vento os levava.

«Ó Manoel, lembras-te?…

«E daquella vez na romaria da Senhora dos Verdes?…

«E na feira, quando foi da compra dos meus bois?!…

As perguntas, as respostas, as diferentes versões e comentarios, envolviam o Manoel num côro de louvôres, que elle recebia mal disfarçando a vaidade num meio sorriso modesto emquanto ia enrolando o cigarro entre os dedos fortes onde brilhava um anel de cobra, o encanto e a inveja dos mais rapazes.”

“Quatro novelas” – Anna de Castro Osório (1908)


sr. António Bocca Negra
“O que Pechincha não sabia era quem era o sr Antonio Bocca Negra. Era uma espécie d’animal muito pouco para inimigo. Era um Hércules mas em vez de valentia tinha brutalidade. Alto robusto patriarcha da sua tribu fazia se respeitar como o primeiro. Todos tremiam d’elle, era amigo da mulher e dos filhos mas só se fazia a sua vontade. Era fanático em pontos d’honra e adorava os frades e os conventos. Chamava a estes liberaes os phelisteus mas altar e throno tinha os no coração. Em fim era um carvalho velho que não dobrava. Era chamado por arbitro em muitas questões e a sua opinião era uma escriptura. Muitas vezes diziam:- Foi uma providencia que a este homem lhe desse para bem, aliás com aquelle génio já tinha mortes ás costas! – Apezar d’isso quando se via mettido n’uma desordem, dava bordoada a valer. Um dia sósinho varreu uma feira com um varapau escapando-se sem ninguém lhe poder tocar nem com um dedo.

Era esse o Minotauro com quem tinha que se haver o fransino e debil Pechincha.”

“Memórias da mocidade” – Francisco Soares Franco Júnior (1867)


Pescador Pedro
“Mas como todos estimavam o rapaz pelas suas excellentes qualidades, não iam os gracejos até ao ponto de o offender, o que elle tambem não supportaria porque era valente e bom jogador de pau”

“Frutos de vário sabor” – F. Games de Amorim (1868)


Tibério
“Não haver romaria, não se festejava santo, não havia feira grande em que Tibério não armasse, fazendo zunir na atmosfera carregada de poeiras e de sol o varapau ferrado de que andava sempre munido”

“Mosaicos : Contos e encontros” – carmen de Figueiredo (1980)


O Esgalhado
“O Esgalhado é um rapaz trigueiro, mais alto que baixo, fino e sucado de carnes, bem lançado, tirado das canelas. Tem no rosto perfeito, que a patine do sol e do vento recrestou, dois olhos vivos, muito vivos, destes que olham a direito, com insistência, quási impertinentes. E sobre o lábio um buço leve de guias arrebitadas. Pulsa-lhe a agilidade no corpo musculoso. Nado e criado lá pela Beira marítima, entre a Estrela e o Mar, conjuga em si as duas graças portuguesas — a serranil e a marinheira.[…]
Com que olhes hão de olhá-lo as moças da sua terra!…
Adivinha-se ali um jogador de pau. Um destes faias da aldeia, lestos e atrevidos, que armam o reboliço numa feira.
E como é seco, esbelto, ardido, airoso, não lhe vai mal, por minha fé, aquele nome de Esgalhado. Enfim um destes puros sangues lusitanos, já tão raros, estatuado pela força da terra e pelo sonho ardente das mulheres, e cuja maquette devia figurar num museu étnico”

“Memórias da grande guerra” – Jaime Cortesão 1919


Francisco
tinha Maria os seus vinte e três annos —em que n’uma romaria se en- controu com um gentil rapaz de Santa Eulália de Barrosas, e sentiu, pela primeira vez, palpitar o coração com desusada força.
Era Francisco o mais guapo moço, jovial cantador ao desafio, destemido jogador de páu, e habilidoso carpinteiro, de todas aquellas cercanias. Sò tinha um defeito… Era um mãos-largas, vintém ganho —vintém gasto!

“Contos” – Pedro Ivo 1874

Anúncios

One thought on “Personagens jogadores de varapau

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s