O homem dobra, apruma, range o corpo; torce-o, e tão depressa é espiral como vara de amieiro ao vendaval; treme como lódão nas mãos frenéticas do jogador de pau em romaria ou feira.

revista “Occidente” Volume 60,  1961
Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s