Portugal na grande guerra

sousa-lopes---sepultura-portuguesa
Uma sepultura portuguesa na terra de ninguém , c. 1918 Adriano Sousa Lopes

O sargento Américo Pelotas, comandando em Lacouture uma patrulha de reconhecimento, vê cair todos os seus homens ceifados pelas metralhadoras; fica só ele, de pé, defendendo-se de seis alemães que o atacam à baioneta; destro jogador de pau, varre-os, como numa feira; quatro mordem a terra; dois fogem; e quando o valente regressa à trincheira, vitorioso, o tiro certeiro de um Sniper prostra-o para sempre.

“O heroísmo, a elegância, o amor – O Mosteiro da Batalha” – Dantas, Júlio, 1923

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s