Jogo da cruz italiano.

Deixo aqui mais uma nota a revelar a ancestralidade do que chamamos de Jogo do Norte que ainda hoje é praticado por todo o pais, nas cidades e em várias aldeias. Desta vez do século XVII, em Itália, com o Montante, ou Spadone no original, uma espada que era aproximadamente do comprimento de um varapau.

alfieri-spadone

COMO SE DEVE NUM LUGAR ESPAÇOSO fazer as três cruzes do Montante – Cap. IX

As presentes lições são todas provenientes de ocasiões verdadeiras em que por questões, na sua maioria surgidas a sangue quente, somos levados ao modo de a ter de fazer as três cruzes, para usá-las em situações em que se seja atacado por várias pessoas nas praças ou ruas espaçosas, e para se fazer isto se requer muito juízo, embora acompanhado de resolução e habilidade, como mostrado na Figura anterior.

A primeira cruz divide-se em dois “golpes oblíquos da direita para a esquerda”, que são acompanhados com o pé direito girando o corpo e o montante em rotação, e cada um dos golpes fará o seu próprio movimento, tendo o pé esquerdo firmemente no chão, e o outro, que caminha duas vezes com o “golpe obliquo”, e em seguida firma-se o pé direito e começa-se com o pé esquerdo juntamente com dois “cortes da esquerda para a direita”, e findo os dois golpes recomeça-se como antes, com o pé direito, e passa-se para o flanco direito, executando-se os mesmos dois “cortes da direita para a esquerda”, e findo se firma o pé direito, e o esquerdo para o lado esquerdo, e far-se-ão os dois “cortes da esquerda para a direita” e em seguida se retorna ao lugar onde se começou.

A segunda cruz far-se-á com “três golpes oblíquos da direita para a esquerda”, e com três “cortes da esquerda para a direita”, os “golpes da direita para a esquerda” sendo acompanhados com o pé direito, e os “cortes da esquerda para a direita” com o pé esquerdo, girando-se três vezes o corpo, e com o Montante, mas mantendo-se a sobredita ordem.

A terceira cruz far-se-á com quatro “golpes oblíquos”, e também com “cortes da esquerda para a direita”, com quatro repetições de cada lado, uma para diante, outra para trás, e de igual forma para o lado direito e esquerdo, observando-se a regra que havíamos demonstrado com o já referido discurso.

“Lo Spadone (O Montante)” de Francesco F. Alfieri – 1653 Tradução de Filipe Martins

– Nota: Por uma questão de facilidade, adaptei um pouco o texto, substitui também os termos italianos, pela descrição fornecida no mesmo documento pelo tradutor, no glossário. Creio que assim fique mais legível para quem só joga ao pau e não está dentro dos termos originais. Para um estudo mais aprofundado aconselho o texto original acima ligado.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s