Herminius – 1893

HERMINIUS
“Esta «troupe» portuguesa, que vai a Chicago mostrar os nossos costumes e diversões, como toques de guitarra, fandango saloio e jogo de pau, apresenta-se no Coliseu dos Recreios, ás Portas de Santo Antão, no sábado próximo, 5 do corrente.
A rapariga que baila o fandango é de Pataias, de onde é também um dos mestres do jogo de pau, o celebre Joaquim Agostinho. Dizem-nos, porém, que Gonçalves Dias, mestre do jogo do pau pelo sistema de Lisboa, é uma verdadeira maravilha.
É espetáculo que muito deve entusiasmar o publico.”

 

Anúncios

Prof. António Lapa com seus disciplos no G.C.P. em 1930

Prof. António Lapa com seus disciplos no G.C.P. em 1930.- ( Biblioteca Museu do Desporto, Revista Stadium, 1932.)

Partilhado originalmente por Jogopauportuguês Aalgarviajogopauportugues

mestre António Lapa:
Natural de Salvaterra de Magos, homem alto, magro  de grande alcance.

Foi discípulo de António Emídio e José Gonçalves Dias (o 95) começou a jogar o pau aos 26 anos no Largo da Achada.

Mais tarde mestre, leccionou no Lisboa Ginásio Clube e no Ginásio Clube Português.

Tendo falecido em Lisboa a 25 de Junho de 1932.

– “Jogo do Pau (Esgrima Nacional)“ – António nunes Caçador, 1963.

Alguns mestres de Jogo do pau de Lisboa dos últimos séculos

Alguns dos antigos mestres de jogo do pau português da escola de Lisboa  dos últimos séculos.

Mais informações sobre alguns dos mestres em:
http://jogodopau.tumblr.com/mestres

Baseado em “Jogo do Pau – Esgrima Nacional” – António Nunes Caçador 1963

Mestre José Gonçalves Dias (o 95)

(…)José Dias (por alcunha o 95), antigo contra-mestre do mestre Salreu, como preito de gratidão á sua memoria, devo dizer, que soube ser um grande mestre e jogador, foi um homem d’um caracter ultra honrado, generoso, ativo trabalhador, e tão desinteressado para com os seus discípulos, que nunca deixou de bem os ensinar, mesmo quando não tinham dinheiro para lhe satisfazer a ridicula paga costumada, e era principalmente tão cheio de boa vontade no ensino, que punha tudo em pratos limpos, não lhes ocultando a mais insignificante parte do jogo

Tal era o excesso do seu desejo de ensinar, que por vezes, mais tarde quando já eu era também mestre, lhe notava que estava ensinando coisas para as quais o discipulo não tinha ainda preparação, ele me respondia: Ensine voçe os seus como entender, porque os meus teem pouco dinheiro para gastar, mas olhe que os meus são tão bem conhecidos em toda a parte, que quem chegar para eles, tem de saber o que faz.

Pois este meu mestre e amigo, a quem tanto e tanto devo do pouco que sei do jogo, foi um dos discipulos preditetos do grande mestre Domingos Salreu, que também  me deu (conforme os bilhetes de lições atestam) nada menos de meia grosa de lições(…)

_____________________________
“Duas palavras sobre o jogo do pau” – Frederico Hopffer 1924

foto: “Jogo do Pau – Esgrima Nacional” – António Nunes Caçador 1963